Loading posts...
“Satanie”: o inferno existe (mas não é o que você imagina)
Ler

“Satanie”: o inferno existe (mas não é o que você imagina)

Fabien Vehlmann e Kerascoët (nome artístico do casal Marie Pommepuy e Sébastien Cosset) são uma parceria de peso. Juntos, os três assinaram o macabro Jolies Ténèbres, fantasia sobre os demônios da natureza humana. Combinando uma imaginação cruel com um traç...
Os super-heróis sempre foram politizados?
Ler

Os super-heróis sempre foram politizados?

  Temos que conceder aos quadrinhos. É fácil ser tachado de diversão vazia. Também é fácil ser acusado de panfletagem, provocação barata, veículo de doutrinação política. Mais difícil, e o que os comics americanos vêm fazendo há décadas, é ser criticado...
“Dies Irae”: perguntas valem mais que certezas
Ler

“Dies Irae”: perguntas valem mais que certezas

Se Deus existir, ele terá de implorar pelo meu perdão. A frase está gravada nas paredes de uma cela em Mauthausen, antigo campo de concentração nazista. Quando pensamos nos horrores do Holocausto, é fácil entender o porquê. De fato, não é simples conciliar...
“Saint Alamo”: uma parábola da violência
Ler

“Saint Alamo”: uma parábola da violência

Se me perguntassem há alguns anos o que eu jamais resenharia, quadrinhos de faroeste estariam bem alto na lista. O western, de verdade, nunca me atraiu. Foi preciso a visão de um Kurosawa e o carisma de um Toshiro Mifune para que eu começasse a respeitá-lo no...
“Made in Abyss” e “Jolies Ténèbres”: dois olhares sobre a escuridão
Ler

“Made in Abyss” e “Jolies Ténèbres”: dois olhares sobre a escuridão

(Aviso: contém SPOILERS para Made in Abyss) A temporada de verão acabou, e temos um veredito. Made in Abyss, baseado no mangá de Tsukushi Akihito, se tornou um dos animes mais polêmicos, comentados - e idolatrados - dos últimos tempos. Não é difícil entend...
Os animes são uma mídia para adultos? (Parte 2)
Ler

Os animes são uma mídia para adultos? (Parte 2)

Na semana passada, eu me reuni ao Fábio Godoy do Anime 21, Diego Gonçalves do É Só Um Desenho e Vitor Seta do Otaku Pós-Moderno para responder a uma pergunta que todos já ouvimos diversas vezes. Os animes que tanto curtimos são, de fato, um entretenimento p...
O Japão de Frank Miller
Ler

O Japão de Frank Miller

Há muito a se elogiar na segunda temporada de Demolidor, da Netflix. As cenas de luta são um espetáculo de coreografia. O tom consegue ser sombrio sem perder o charme. Elektra e o Justiceiro não são apenas excelentes coadjuvantes, mas estão fidelíssimos às s...
De onde vieram os anti-heróis dos quadrinhos?
Ler

De onde vieram os anti-heróis dos quadrinhos?

Entre a nova (e violenta) adaptação de Demolidor, os ecos de Frank Miller em Batman vs. Superman, o status de "lenda cult" de Christopher Nolan e a vinda da Guerra Civil para os cinemas, tudo aponta para a mesma coisa: o anti-herói está na moda. E pretende f...
Shigeru Mizuki: O soldado que inventou o mangá moderno
Ler

Shigeru Mizuki: O soldado que inventou o mangá moderno

Quando pensamos em "pai do mangá", o primeiro nome que vem à cabeça é quase sempre Osamu Tezuka. Entre seu pioneirismo em praticamente todos os gêneros, a influência de seu trabalho nos filmes da Disney e as inúmeras graphic novels premiadas, é impossível olha...
Antes de ‘Perfect Blue’: os mangás esquecidos de Satoshi Kon
Ler

Antes de ‘Perfect Blue’: os mangás esquecidos de Satoshi Kon

Satoshi Kon, morto aos 46 anos em 2010, foi um dos maiores nomes da animação japonesa. Mais do que qualquer outro diretor, ele conseguiu traduzir às telonas a vibe histérica e surrealista de autores como Haruki Murakami e de movimentos como o Superflat. Seus ...