Loading posts...
4 motivos que fizeram de “Age of Empires” um marco
Ler

4 motivos que fizeram de “Age of Empires” um marco

Qual o jogo que fez de você um gamer? Não digo o primeiro que jogou. Aquele que o fez sentir que era parte de algo maior. Que trazia aquele sorriso de cumplicidade sempre que topava com outro fã. Para mim, há um número de games que disputam o lugar. Dentre e...
“Hellblade: Senua’s Sacrifice”: um marco nos jogos
Ler

“Hellblade: Senua’s Sacrifice”: um marco nos jogos

Aviso: contém SPOILERS de Hellblade: Senua's Sacrifice Enquanto jogava – ou melhor, experienciava – o novo produto da Ninja Theory, algo me dizia que estava diante de um jogo que ia muito além daquilo estava sendo mostrado em tela, que aquela experiência, de ...
“Jogador No. 1” e a vaidade da geração millennial
Ler

“Jogador No. 1” e a vaidade da geração millennial

Um jovem guerreiro encontra uma terra paradisíaca. Aqui, não há velhice, fome ou pobreza. Ele pode ser quem ele quiser, ao lado da mulher de seus sonhos. Um mundo perfeito. Um dia, no entanto, ele descobre que a perfeição cansa. Começa a sentir saudade do mun...
Afinal, qual é a graça de séries sobre comida?
Ler

Afinal, qual é a graça de séries sobre comida?

Um jovem e um velho estão sentados num balcão. A comida que pediram, duas tigelas de lamen, acaba de chegar. “Sensei” pergunta o jovem “O que se come primeiro? O caldo ou o macarrão? ” “Primeiro” responde o velho “Nós observamos. Pegue o hashi e acaricie...
Por que “Nier: Automata” é uma narrativa tão marcante
Ler

Por que “Nier: Automata” é uma narrativa tão marcante

  (Aviso: contém SPOILERS de Nier: Automata) Dizer que Nier: Automata é um jogo excepcional já é quase chover no molhado. Seu criador, Yoko Taro, sempre foi conhecido por pensar fora da caixa, mas nenhuma de suas obras, até agora, chegou tão perto do r...
Revisitando “Solaris”: como o clássico de Lem mudou a literatura
Ler

Revisitando “Solaris”: como o clássico de Lem mudou a literatura

Existem pautas que nos pegam de surpresa, e outras que não aguentamos de vontade para colocar no papel. O texto de hoje é do segundo tipo. Qual foi minha surpresa ao navegar pelos canais da editora Aleph e descobrir que Solaris, clássico insuperável de Sta...
“Matéria Escura”: um romance perdido no uncanny valley
Ler

“Matéria Escura”: um romance perdido no uncanny valley

Você voltaria ao passado para consertar algum arrependimento? E se isso custasse abandonar a vida que tem hoje, com tudo o que trouxe de bom? Se tivesse de escolher entre viver oportunidades que deixou passar e tudo o que tem hoje, qual seria sua escolha? ...
“Game over?” Como os games tornam o fracasso viciante
Ler

“Game over?” Como os games tornam o fracasso viciante

Tudo o que vive está fadado a terminar. Com essas palavras começa Nier: Automata, o novo jogo de Yoko Taro que coleciona elogios. Meio JRPG, meio bullet hell; meio ruminação filosófica, meio tributo metanarrativo, o jogo nos força, a todo momento, a repen...
“Torment: Tides of Numenera”: o futuro dos RPGs é uma casa dividida
Ler

“Torment: Tides of Numenera”: o futuro dos RPGs é uma casa dividida

 Certa vez, assistindo à intro de Majora’s Mask, minha noiva fez o seguinte comentário: “Os jogos no passado eram mais mágicos.” “Por quê? ” eu perguntei. “Porque deixavam mais a cargo da imaginação.” Não dá para negar o argumento. Os Zeldas do N64 não f...
4 livros para quem curte “Kuzu no Honkai”
Ler

4 livros para quem curte “Kuzu no Honkai”

Grande sucesso da temporada, Kuzu no Honkai tem colecionado elogios por nos apresentar uma história que não vemos todos os dias: um antirromance. Enquanto que muitos autores nos trazem amores açucarados e previsíveis, o anime se destacou por trazer personagen...