Loading posts...
“Os Triunfos de Tarlac” dev diary #7: a diplomacia
Ler

“Os Triunfos de Tarlac” dev diary #7: a diplomacia

Quando fazemos um game histórico, certas coisas são difíceis de acertar porque são complicadas ou abstratas demais para fazer caber em um jogo. Já outras são difíceis porque não parecem fazer o menor sentido. A diplomacia na Irlanda medieval é uma d...
“First Person Singular”: retrato de um Murakami sob ataque
Ler

“First Person Singular”: retrato de um Murakami sob ataque

Haruki Murakami é conhecido por um estilo inimitável de realismo fantástico. E por retratos tão comoventes sobre a solidão que fazem qualquer um procurar um copo de whisky ao som de um jazz melancólico. Suas histórias reproduzem  a esquisitice típica dos so...
“Os Triunfos de Tarlac” dev diary # 6: as facções jogáveis
Ler

“Os Triunfos de Tarlac” dev diary # 6: as facções jogáveis

Poucas coisas afetam mais nossa experiência com um jogo histórico do que os uniformes que vestimos – metaforicamente -  quanto sentamos à mesa. Uma mesma jogatina pode ser uma experiência inspiradora ou horripilante dependendo da facção que controlarmos. Um...
Entrevista: explorando a Revolução Russa em “The Life and Suffering of Sir Brante”
Ler

Entrevista: explorando a Revolução Russa em “The Life and Suffering of Sir Brante”

      Uma sociedade precariamente dividida em três classes sociais. Um “Império Abençoado” multicultural cuja própria forma traz à mente uma certa confederação europeia. Uma Igreja que enfrenta um cisma entre uma “Velha Fé” tradicio...
“Klara e o Sol”: as máquinas podem nos reensinar a ser humanos
Ler

“Klara e o Sol”: as máquinas podem nos reensinar a ser humanos

Pense um pouco sobre aquilo que mais teme e é provável que você encontre uma diferença. Sentimentos revolta daquilo que não pertence ao nosso mundo. Quando queremos descrever algo como atemorizante, com frequência o fazemos comparando-o ao que há de mais es...
“The Life and Suffering of Sir Brante”: A História não é um simples dominó
Ler

“The Life and Suffering of Sir Brante”: A História não é um simples dominó

Muito tempo atrás, quando videogames ainda eram novidade, estudiosos da mídia se perguntavam qual era a melhor “caixinha”, no mundo da arte, em que deveriam ser colocados. Alguns defendiam que eles eram apenas outro tipo de jogo, igual ao xadrez ou mesmo ao...
“Os Triunfos de Tarlac” dev diary #5: o combate – regras avançadas
Ler

“Os Triunfos de Tarlac” dev diary #5: o combate – regras avançadas

No último diário, eu falei sobre os princípios gerais do combate. Nesse texto, entrarei em maior detalhe em algumas de suas regras específicas: os efeitos de terreno, mobilização e situações especiais de combate. Os efeitos de terreno Como eu expliqu...
“Os Triunfos de Tarlac” dev diary #4: o combate – regras gerais
Ler

“Os Triunfos de Tarlac” dev diary #4: o combate – regras gerais

Dizia François Truffault que é impossível fazer um filme anti-guerra. Para o cineasta, o mero ato de retratar a guerra na telona já trivializa – quando não glorifica – o derramamento de sangue. Coisa parecida pode ser dita sobre jogos. Por mais que tent...
“If All the World and Love Were Young”: o amor aos games para além da nostalgia
Ler

“If All the World and Love Were Young”: o amor aos games para além da nostalgia

Semanas atrás, enquanto dava uma aula, alguém me perguntou se os games já haviam influenciado a literatura. Essa pessoa não se referia às inúmeras novelizações de jogos eletrônicos, às light novels isekai ou a fenômenos como The Witcher. O que ela queria sa...
“Os Triunfos de Tarlac” dev diary #3: o mapa
Ler

“Os Triunfos de Tarlac” dev diary #3: o mapa

Board games não têm esse nome à toa. De todos os seus elementos, seu tabuleiro é talvez o mais importante. Para jogos históricos como Os Triunfos de Tarlac é também um dos mais difíceis de desenvolver. Desde o ínicio, sabíamos que nosso tabuleiro dev...