Loading posts...
Hozumi: uma mestre na arte de contar histórias
Ler

Hozumi: uma mestre na arte de contar histórias

  Josei é um estilo de pouca sorte. Em uma pesquisa feita pelos meus colegas da Blogosfera Otaku BR, ficou em último lugar na lista de preferências de grupos de anime no Facebook, com meros 1,2% dos votos. É verdade que, no Brasil, a oferta de mangás à ...
“Goshiki no Fune”: A sociedade humana é o maior dos shows de horrores
Ler

“Goshiki no Fune”: A sociedade humana é o maior dos shows de horrores

É a cultura que torna as pessoas cruéis? Ou não seriam as próprias pessoas, maldosas por natureza, que produzem uma cultura à sua imagem? Essa é uma daquelas perguntas que mais custa a nos deixar em paz. De discussões sobre jogos violentos à repercussão de ...
“Helter Skelter”: o culto às aparências é muito mais forte do que imaginamos
Ler

“Helter Skelter”: o culto às aparências é muito mais forte do que imaginamos

  Até onde você iria por uma aparência perfeita? Hoje em dia, é provável que a resposta seja "não muito longe". Poucas coisas são marcas mais fortes da nossa geração do que a crítica à beleza a todo custo. "Come as you are "tornou-se um lema para a form...
“Koe no Katachi”: um novo olhar sobre o bullying
Ler

“Koe no Katachi”: um novo olhar sobre o bullying

Quem acompanha a cena de mangás já deve ter ouvido falar de uma pequena pérola que tem ganhado os holofotes nos últimos tempos. Koe no Katachi, conhecido em inglês como A Silent Voice, é um dos destaques mais badalados de memória recente. Originalmente um...
Inio Asano e a “voz” da nossa geração
Ler

Inio Asano e a “voz” da nossa geração

Estaria a juventude sem rumo? Essa é uma daquelas perguntas que custam a ficar velhas (com o perdão do trocadilho). Já faz mais de 25 anos que Mundo Fantasma sugeriu a mesma coisa. De lá para cá, não parecemos estar mais certos. Ou menos perdidos. No univers...
O Japão de Frank Miller
Ler

O Japão de Frank Miller

Há muito a se elogiar na segunda temporada de Demolidor, da Netflix. As cenas de luta são um espetáculo de coreografia. O tom consegue ser sombrio sem perder o charme. Elektra e o Justiceiro não são apenas excelentes coadjuvantes, mas estão fidelíssimos às s...
O fascínio dos animes com a magia ocidental
Ler

O fascínio dos animes com a magia ocidental

  Quem tem o hábito de acompanhar mangás e animes já deve ter reparado que esse meio tem um pé no esotérico. Ao lado de mechas, uniformes escolares e doces baratos – muitas vezes, ao mesmo tempo – a cultura pop japonesa parece ter uma queda por magia e o...
“Numenera”: Em um bilhão de anos, o que significará ser humano?
Ler

“Numenera”: Em um bilhão de anos, o que significará ser humano?

2016 pode estar apenas começando, mas alguns jogos, de tão aguardados, nos fazem pensar que o tempo não anda. Para mim – e, imagino, tanto outros que acompanham a renascença dos RPGs isométricos – é o caso de Torment: Tides of Numenera. O game da inXile foi...
Entrevista: como ‘Attack on Titan’ expandiu as fronteiras do mangá
Ler

Entrevista: como ‘Attack on Titan’ expandiu as fronteiras do mangá

No mês passado, dois executivos da Kodansha, Kohei Furukawa e Hiroaki Morita, vieram aos Estados Unidos para conversar sobre mangás, o futuro dos quadrinhos com as mídias digitais e o sucesso de produções japonesas em solos ocidentais. Em especial, citaram ...
Shigeru Mizuki: O soldado que inventou o mangá moderno
Ler

Shigeru Mizuki: O soldado que inventou o mangá moderno

Quando pensamos em "pai do mangá", o primeiro nome que vem à cabeça é quase sempre Osamu Tezuka. Entre seu pioneirismo em praticamente todos os gêneros, a influência de seu trabalho nos filmes da Disney e as inúmeras graphic novels premiadas, é impossível olha...