Loading posts...
“Cosplay, Steampunk e Medievalismo”: muito além da fantasia
Ler

“Cosplay, Steampunk e Medievalismo”: muito além da fantasia

Hoje trago a vocês um artigo um pouco diferente. Apesar de ser cosplayer e medievalista (do tipo que faz pesquisa acadêmica, não batalha campal), não tenho grandes fetiches pela Idade Média (como leitores do blog estão cansados de saber, é o Japão dos anos 19...
“Kono Sekai no Katasumi ni”: a geração que não sabia ver
Ler

“Kono Sekai no Katasumi ni”: a geração que não sabia ver

Das imagens que minha vó trouxe da Segunda Guerra, uma se destaca das demais. De tempos em tempos, aviões aliados sobrevoavam seu vilarejo, metralhando tudo o que encontravam pela frente. Minha vó nunca ficava para o espetáculo: ao primeiro som das hélices, e...
“O Infinito no Meio”: algo fundamental escapa pelos dedos
Ler

“O Infinito no Meio”: algo fundamental escapa pelos dedos

Prisão epifânica é um tipo de cárcere em que não sabemos que estamos presos. É só quando tentamos fugir que descobrimos que nossa vida, na verdade, é uma cela. É a Caverna de Platão, a Matrix, a Seahaven Island de O Show de Truman, o Museu do Silêncio de Yoko...
4 motivos que fizeram de “Age of Empires” um marco
Ler

4 motivos que fizeram de “Age of Empires” um marco

Qual o jogo que fez de você um gamer? Não digo o primeiro que jogou. Aquele que o fez sentir que era parte de algo maior. Que trazia aquele sorriso de cumplicidade sempre que topava com outro fã. Para mim, há um número de games que disputam o lugar. Dentre e...
Pirataria: calamidade ou mal necessário?
Ler

Pirataria: calamidade ou mal necessário?

Gerações vêm e vão. Fitas dão lugares a DVDs, que dão lugar a Blu Rays e arquivos digitais. Algumas questões, contudo, parecem eternas. É o caso da pirataria. As batalhas sobre direitos autorais na cultura pop não parece dar sinais de arrefecer.  A "utopia" d...
“Hellblade: Senua’s Sacrifice”: um marco nos jogos
Ler

“Hellblade: Senua’s Sacrifice”: um marco nos jogos

Aviso: contém SPOILERS de Hellblade: Senua's Sacrifice Enquanto jogava – ou melhor, experienciava – o novo produto da Ninja Theory, algo me dizia que estava diante de um jogo que ia muito além daquilo estava sendo mostrado em tela, que aquela experiência, de ...
“Jogador No. 1” e a vaidade da geração millennial
Ler

“Jogador No. 1” e a vaidade da geração millennial

Um jovem guerreiro encontra uma terra paradisíaca. Aqui, não há velhice, fome ou pobreza. Ele pode ser quem ele quiser, ao lado da mulher de seus sonhos. Um mundo perfeito. Um dia, no entanto, ele descobre que a perfeição cansa. Começa a sentir saudade do mun...
“A Cidade da Luz”: algumas coisas pertencem à escuridão
Ler

“A Cidade da Luz”: algumas coisas pertencem à escuridão

Tasuku é um "acompanhante de suicidas". Por um módico pagamento, ajuda pessoas que desejam se matar a planejar sua partida – e a não mudar de ideia na hora H. Tasuku não parece ter remorsos. Pelo contrário, leva seu “trabalho” com uma frieza assassina.  Por...
Afinal, qual é a graça de séries sobre comida?
Ler

Afinal, qual é a graça de séries sobre comida?

Um jovem e um velho estão sentados num balcão. A comida que pediram, duas tigelas de lamen, acaba de chegar. “Sensei” pergunta o jovem “O que se come primeiro? O caldo ou o macarrão? ” “Primeiro” responde o velho “Nós observamos. Pegue o hashi e acaricie...
Uma aventura no Japão #10: quem tem medo do teatro noh?
Ler

Uma aventura no Japão #10: quem tem medo do teatro noh?

Você já deve­ ter ouvido falar do noh, o mais famoso e pomposo dos teatros japoneses. Você já deve ter ouvido falar do noh, aquela ópera esquisita em que homenzarrões interpretam papéis femininos. Você já deve ter ouvido falar do noh, cujas máscaras parecem ...