Loading posts...
Entrevista:  a Dublin de Joyce entre o passado, presente e futuro
Ler

Entrevista: a Dublin de Joyce entre o passado, presente e futuro

Hoje trago algo diferente para vocês. Se acompanham o blog há algum tempo, sabem que sou grande fã da obra de James Joyce. Minha admiração por esse autor já me levou a muitos lugares – por exemplo, a fazer cosplay de suas personagens pelas ruas de Dublin. ...
“A Mulher da Saia Roxa”: humor, intrigas e pessoas invisíveis
Ler

“A Mulher da Saia Roxa”: humor, intrigas e pessoas invisíveis

Certas histórias nos transportam para outros mundos. Outras arrancam nossas vendas, mostrando-nos universos paralelos escondidos debaixo dos nossos olhos. A Mulher da Saia Roxa, de Natsuko Imamura, pertence ao segundo grupo. É, à primeira vista, um romanc...
“Heaven”: a violência e seus sentidos
Ler

“Heaven”: a violência e seus sentidos

Quando resenhei Kagami no Kojou semanas atrás, não imaginei que trombaria com outro romance japonês sobre bullying tão cedo. Mais surpreendente foi vê-lo escrito por ninguém menos que Mieko Kawakami, que conquistou o Japão e mundo com o incendiário Breasts...
“Kagami no Kojou”: por uma infância que supere os muros da escola
Ler

“Kagami no Kojou”: por uma infância que supere os muros da escola

Kagami no Kojo ( The Lonely Castle in the Mirror na sua edição em inglês ) é um obra enganosamente simples. É um romance sobre uma criança seduzida a cruzar um portal a um mundo fantástico. Mas também é um romance que seduz a nós próprios com imagens famil...
“First Person Singular”: retrato de um Murakami sob ataque
Ler

“First Person Singular”: retrato de um Murakami sob ataque

Haruki Murakami é conhecido por um estilo inimitável de realismo fantástico. E por retratos tão comoventes sobre a solidão que fazem qualquer um procurar um copo de whisky ao som de um jazz melancólico. Suas histórias reproduzem  a esquisitice típica dos so...
“Klara e o Sol”: as máquinas podem nos reensinar a ser humanos
Ler

“Klara e o Sol”: as máquinas podem nos reensinar a ser humanos

Pense um pouco sobre aquilo que mais teme e é provável que você encontre uma diferença. Sentimentos revolta daquilo que não pertence ao nosso mundo. Quando queremos descrever algo como atemorizante, com frequência o fazemos comparando-o ao que há de mais es...
“If All the World and Love Were Young”: o amor aos games para além da nostalgia
Ler

“If All the World and Love Were Young”: o amor aos games para além da nostalgia

Semanas atrás, enquanto dava uma aula, alguém me perguntou se os games já haviam influenciado a literatura. Essa pessoa não se referia às inúmeras novelizações de jogos eletrônicos, às light novels isekai ou a fenômenos como The Witcher. O que ela queria sa...
“The Butchers”: a mitologia em tempos de epidemia
Ler

“The Butchers”: a mitologia em tempos de epidemia

Conta a mitologia dos sámi, povo nativo da Lapônia, que epidemias eram causadas por um demônio chamado Ruto. Aqueles que o desagradavam eram arrastados a seu inferno pessoal, o reino maléfico de Rotaivo. O alvo da sua fúria? Pessoas que negavam a natureza. ...
“The Secret Commonwealth” e a era da pós-verdade
Ler

“The Secret Commonwealth” e a era da pós-verdade

"Pós-verdade" é o nome que alguns dão a uma falta de confiança em relação ao que é verdadeiro - ou mesmo, à ideia de que uma única "verdade" existe de fato. O termo foi eleito a palavra do ano de 2016 pelo dicionário Oxford da língua inglesa. A escolha disp...
“A Polícia da Memória”: a censura – e como vencê-la.
Ler

“A Polícia da Memória”: a censura – e como vencê-la.

Eu havia pensado em começar esse texto com uma referência literária ou a menção de algum episódio vergonhoso do passado. Infelizmente, a realidade tem um talento para superar a ficção. E o presente, com suas incertezas e passos em falso, nos choca mais que ...