Café com Anime: “Irozuku Sekai no Ashita Kara” episódio final

Bem vindo ao Café com Anime, sua dose semanal de bom papo e animação japonesa!

Nessa temporada, o Finisgeekis, Anime21, Dissidência Pop e É Só um Desenho discutem Irozuku Sekai no Ashita Kara. 

Irozuku termina em grande estilo, amarrando todas as pontas – e até fazendo um dos nossos autores chorar. Qual deles, você me pergunta? Continuem lendo para descobrir!

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Ora, ora, assim é fácil, não é? Para que juntar coragem para se declarar quando um feitiço te joga em uma fenda temporal só para você poder desabafar?

Irozuku finalmente terminou. Com um final realmente bombástico, bem amarrado – bem amarrado, eu diria, até demais.

Mas chegaremos lá em seu devido tempo. O que vocês acharam?

buniiito4Fábio “Mexicano”

Foi exatamente o que eu esperava. Todo mundo morreu e o livro é do Aoi. A Hitomi meio que aceitou tudo meio fácil demais no final, mas ok.

Ah, o toque especial foi o livro ter contado as experiências e sentimentos de todo mundo, e ser sobre a Hitomi. Isso foi inesperado, muito bom.

Acho que animes com 13 episódios tem um episódio a mais só pra fechar tudo bem direitinho :stuck_out_tongue:

diego gonçalvesDiego

Será mesmo que todo mundo morreu? Meio difícil de acreditar. A Koharu está firme e forte, e me parece estranho que no japão de 60 anos no futuro seja comum morrer antes dos 80. Claro, é bem difícil explicar a visita ao túmulo, mas pode ser de qualquer outra pessoa. Algum dos parentes do passado. A mãe.

Agora, sobre o episódio em si, vou dizer que curti pra caramba. Foi um final bem bonito, que até me fez lacrimejar um pouquinho (ênfase no “um pouquinho”, mas já é muito mais do que eu esperaria desse anime :smile:).

buniiito4Fábio “Mexicano”

A visita ao túmulo não faz sentido em qualquer outra hipótese. Ela disse que a mãe saiu de casa, não que ela morreu. Claro, ela não tem pais, podem ter morrido sim, mas poxa, o anime só precisava de uma fala pra isso encaixar direito e não a proferiu em momento nenhum.

Aliás, ela disse que ligou para o pai para passar o dia na casa da avó, não foi?

diego gonçalvesDiego

Ainda tem os parentes do passado. A bisavó e a tataravó.

 

buniiito4Fábio “Mexicano”

Ter, tem muita gente, né? Estou reclamando que o anime não falou.

O dito pelo não dito, como ela não reencontrou os amigos a única explicação que me parece razoável é que todos morreram.

diego gonçalvesDiego

Ela também não reencontrou com a bisavó e tataravó :stuck_out_tongue:

 

buniiito4Fábio “Mexicano”

Ela não parecia muito preocupada de nunca mais vê-los :stuck_out_tongue:

 

cat ultharGato de Ulthar

Mesmo que não tenha dado quase nenhum detalhe sobre quem sobreviveu ou morreu, isso não me desagradou nenhum pouco, o final ficou tão fechadinho e bonitinho que não quero nada mais. Vou esquecer todos os defeitos (poucos) e curtir essa finalização como uma das melhores do Café desta edição.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Eu estou entre Irozuku e YagaKimi como o melhor anime não só da nossa edição do Café, como da temporada inteira.

 

cat ultharGato de Ulthar

YagaKimi como melhor da temporada? Só você mesmo Fábio! E o Diego também.  :stuck_out_tongue:

 

buniiito4Fábio “Mexicano”

Vou defendê-lo no local correto, se o assunto surgir por lá :smiley:

 

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Eu colocaria a mão no fogo antes de nomear tanto Irozuku quanto Yagate como “melhores animes” da temporada. Está certo que a temporada não foi lá muito espetacular, mas nenhum dos dois merece essa honra. Sobretudo Yagate, que foi tão emocionante quanto uma cerveja quente.

Mas não acho que é à toa que o Fábio tenha comparado os dois. De fato, são séries com mais semelhanças do que diferenças, sobretudo em seu andamento, no seu foco escolar e nas low stakes dos seus conflitos.

Acho que ter visto ambos lado a lado de certa forma podaram meu entusiasmo com os dois. Não é que eu não curta histórias lentas, mas eu realmente senti falta de mais excitação. Ou, no mínimo, de conflitos mais espinhosos.

Nesse sentido, por mais que o final de Irozuku tenha sido perfeito, não posso tirar o mal-estar de que foi “fácil” demais. A Hitomi terminou sua jornada quase como uma personagem passiva. Até mesmo o “momento” da verdade entre ela e os amigos foi arranjado para por forças fora de seu controle.

diego gonçalvesDiego

Eu amei Yagate, mas esse final torna complicado para mesmo eu considerá-lo o melhor da temporada. Engraçado que Irozuku é quase que o oposto: eu gostei muito desse final, apesar de alguns apesares (concordo que ele pareceu fácil demais, e que a Hitomi acabou por ser passiva demais na própria história), mas o restante do anime eu consideraria sobretudo ok. Ainda divertido de se assistir, sobretudo quando não focavam na Hitomi, mas nada de especial a meu ver.

Acho que no fim eu fico com SSSS.Gridman como o melhor da temporada :stuck_out_tongue:Alguém daqui devia ter pego ele :smile:

buniiito4Fábio “Mexicano”

Ah não, eu nem saberia o que dizer sobre Gridman. É um anime muito bonito com uma história muito confusa e personagens que muitas vezes parecem não entender a gravidade da situação que eles mesmos notaram instantes antes. E o pior é que até isso pode ser supostamente justificável. Não, não, adorei Gridman, mas falar sobre Gridman não é fácil.

Prefiro mil vezes falar de Irozuku, que está no conjunto das coisas que eu entendo

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Irozuku é engraçado. Por um lado, não consigo afastar a impressão do Diego de que seus episódios não tiveram aquele “tchans” a mais que espero de bons dramas. Por outro, isto foi exatamente o que o anime se propôs a fazer, e fez com tanta maestria que me parece uma injustiça reclamar.

Eis um anime que entregou exatamente o que prometeu, sem tirar nem pôr. Prometeu pouco? Talvez sim, mas é aquela velha questão: preferimos uma obra que mira alto, mas fracassa, ou aquela que sucede dentro da sua zona de conforto?

buniiito4Fábio “Mexicano”

Eles são adolescentes, pra eles isso foi muito. Pelo menos o anime conseguiu contar isso de uma forma emocionante – o recurso à magia, comum no gênero, sem dúvida ajudou

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Pode ser impressão minha, mas eu sinto que Irozuku ficou um tanto atrás de outras séries adolescentes. Outras obras (como o ocidental As Vantagens de Ser Invisível ou o também anime After the Rain) capturaram isso com um pouco mais de pathos. Mesmos conflitos, mas de uma forma mais incisiva – e, para mim como espectador, mais agradável.

Acho que tudo volta à passividade da Hitomi. No final, achei que Irozuku quase pareceu uma jornada da Kohaku mais do que de sua neta.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Eu classifico Irozuku ao lado de outros animes sobre “adolescência mágica”, como Bunny Girl, dessa mesma temporada, ou animes como Charlotte e Kokoro Connect.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Olho só, não tinha pensado em Kokoro Connect. De fato, os dois têm muito a ver um com o outro.

 

buniiito4Fábio “Mexicano”

Faz muito tempo que assisti Kokoro Connect e para além da premissa lembro muito pouco, infelizmente.

 

cat ultharGato de Ulthar

Irozuku é bem “light hearted“, e isso não é uma crítica, é algo gostoso de assistir, no entanto não é algo realmente marcante.

 

diego gonçalvesDiego

Concordo plenamente com o Gato nessa. É um desses animes que é gostoso de ver semana a semana, mas que eu provavelmente vou esquecer que vi em questão de alguns meses. E na moral: não vejo nada de errado nisso. Nem tudo precisa ser um clássico instantâneo   :stuck_out_tongue:

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Pois é. Eu penso a mesma coisa.

Acho que é isso então, né? Últimas palavras para se despedirem de Irozuku?

cat ultharGato de Ulthar

Adeus Hitomi e companhia!

Foi muito bom acompanhar a sua história, embora não seja nada muito marcante, foi uma experiência agradável como um chá da tarde.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Daqui a 60 anos vou te visitar comprar uns pó pra ficar muito doido!

 

cat ultharGato de Ulthar

Se bem que já temos atualmente uns pós “mágicos”.

 

buniiito4Fábio “Mexicano”

Quero do bom :stuck_out_tongue:

 

diego gonçalvesDiego

Acho que prefiro a vida sem essa “magia” do Gato :stuck_out_tongue: Mas sobre anime, repito que foi agradável de acompanhar, com talvez o melhor final dentre os quatro dessa nossa “leva” do Café.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Não escutem o Gato (nem o Fábio). A vida é muito mais colorida sem esse tipo de magia  :grin:

De resto, é isso aí. Eu agradeço a vocês pela presença e a todos vocês, leitores, por nos acompanharem nessa jornada.

Um abraço e até o próximo Café!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *