Café com Anime: “Happy Sugar Life” episódio 9

Bem vindo ao Café com Anime, sua dose semanal de bom papo e animação japonesa!

Nessa temporada, o Finisgeekis, Anime21, Dissidência Pop e É Só um Desenho discutem Happy Sugar Life.

Chegou o momento que todos esperavam. A cena que fez Happy Sugar Life entrar para a memória de todos que o assistem. A cena mais chocante, segundo o Diego, desde o celebrado clímax de Made in Abyss que fez a internet espernear.

Hipérbole? De forma alguma. Confiram abaixo:

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Geralmente eu começo falando alguma coisa, mas acho que dessa vez darei o privilégio todo a vocês.

Por quê?

Pois esse é aquele episódio que nós que lemos o mangá estávamos esperando desde o começo. O Ponto sem Retorno que faz todo o castelo de cartas cair. A cena tão importante, tão chocante que muitos especulavam que seria usada para “fechar” uma possível primeira temporada. A quem quero enganar? estou falando disso aqui, é claro:

Gente, foi uma cena tão marcante (e tão bem dirigida) que fica até difícil escolher uma única imagem. Todas são incríveis.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Eu já assisti muitas mortes em anime. E fora de anime também. E nem estou falando de mortes em histórias em que elas não valem nada, falo de mortes que chocam mesmo.

No curso de quase um ano de Café com Anime, trombamos com algumas dessas, não foi? Mas eu não me lembro de uma morte assim.

Eu fiquei quase um minuto parado após o final do episódio. Foi uma direção excelente, um verdadeiro trabalho de arte, mas não foi por isso que fiquei congelado.

Normalmente cenas tão boas, tão potentes assim, eu assisto de novo logo em seguida (tenho feito isso com todos os duelos musicais em Starlight, nessa temporada, por exemplo). E, claro, desde o começo eu estava pensando nisso.

Mas quando tudo acabou eu congelei. Eu não assisti de novo. Eu estava passando mal, como se eu tivesse visto uma morte de verdade acontecer na minha frente. Quero dizer, nunca vi uma morte, não sei se seria assim, mas fique registrado que eu simplesmente não sei o que exatamente eu estava sentindo. Mas era ruim. Fiquei me sentindo mal, mentalmente dizendo, por horas depois.

Essa é uma morte que eu não vou esquecer tão cedo.

diego gonçalvesDiego

Eu não me sentia tão desconfortável com uma cena em um anime desde aquela cena em Made in Abyss, no ano passado. Mas o que torna esse momento tão impactante nem foi a morte em si da Shouko, mas sim todo o momento anterior.

Aquela montagem das duas discutindo, com uma música de fundo mais calma, tudo tentando fazer parecer que aquela cena ia mesmo acabar bem, só para então ela mudar de tom brutalmente no espaço de um segundo. Um segundo, aliás, que o anime soube muito bem como manter. A cena da Satou agarrando a Shouko por trás é rápida, mas dura o tempo exato que precisa para comunicar para onde aquilo vai.

Bom, acho que eu não tenho do que reclamar. No episódio passado eu comentei como o anime parecia querer desculpar demais a Satou, colocando o seu primeiro assassinato como um ato para proteger a Shio. Agora, porém, não tem desculpa, e é mesmo uma cena que definitivamente cimenta o status da Satou de uma completa sociopata altamente perigosa.

E diga-se de passagem, essa cena final talvez seja ainda mais impactante justamente porque esse status não estava cimentado ainda. A Satou sempre foi retratada como moralmente ambígua até aqui. Ela usa dos outros, mas não são boas pessoas para começo de conversa. Ela sequestrou a Shio, mas pelo visto achou a garota na rua. Ela matou alguém, mas apenas para proteger a menina.

Ela quase parecia sensata… E ai temos este final.

cat ultharGato de Ulthar

A Shouko ser morta pela Satou não era de todo inesperado, era até algo bem provável de acontecer, se levarmos em conta o passado da Satou. Mas o cerne da questão é como o anime trabalhou de forma magistral esse ato.

Sei que é chover no molhado, mas foi uma execução linda a Shouko sendo esfaqueada, as cores invertidas com o sangue branco como leite, enquanto ela arranha as mãos de sua executora. Foi realmente chocante a construção da cena, com ambas dialogando sem que pudéssemos ouvir suas vozes, o que, ao meu ver, mostra como a Satou ignora tudo e todos e só tem olhos para o seu objeto de adoração, a pequena Shio.

A direção foi super eficiente em nos deixar perplexos, pois mesmo improvável, a cena dos deu uma mínima ideia de que a Shouko poderia sair viva daquilo.

Depois ela aparecendo toda desfigurada e ferida por ter matada a garota na frente da Shio foi algo extremamente magistral, e que compete com o horror da cena igualmente espantosa do casamento improvisado das duas.

Isso não vem ao caso e estamos analisando a situação na segurança de nossos lares, mas quando a Shouko foi pega tirando foto das duas, o que já foi surpreendente por si só, ela podia ter corrido como o diabo da cruz, além disso, se ela chegasse em um ambiente um pouco mais público, ou começasse a gritar, alguém poderia vir ao seu socorro, seu erro foi ter se deixado levar para dentro do apartamento.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Shouko certamente nem cogitou que a Satou fosse uma psicopata assassina. Sequestradora sim, pedófila quem sabe, mas daí a assassina seria um salto de raciocínio que ela não teve tempo e nem tinha motivos para fazer.

Por fim, no Japão, gritar chama atenção sim, mas geralmente o tipo errado de atenção. As pessoas iriam fugir dela, virar a cara. Mas quem sabe o policial, que voltou na casa da tia, tivesse escutado, não é?

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Eu já sabia que isso viria, mas preciso dizer que fiquei completamente chocado com a execução. Quando vi aquele passarinho voando e a cena se desenrolando durante o ending até pensei se o anime não feito uma mudança brusca na história.

A gente escuta muito por aí o cliché de que “anime é sempre pior que mangá”. Sempre achei isso um julgamento bem perigoso, pois há coisas que só a linguagem cinematográfica é capaz de fazer. E acho que Happy Sugar Life, episódio a episódio, está nos dando um show sobre o potencial da telinha.

Não há como reproduzir o pavor dessa cena apenas de maneira estática, no traço simples de seu mangá. A combinação de música, animação, pacing e performance foi matadora.

buniiito4Fábio “Mexicano”

O tema “canário” não está presente no mangá?

Ele transmite uma ideia potente no anime. Pequenos pássaros, como canários, são carregados para dentro de minas (ou eram, não sei se ainda se faz isso) porque pequenos, morrem logo em caso de vazamento de gases venenosos.

A morte de um pássaro é o sinal de desastre iminente.

Em Happy Sugar Life, podemos dizer sem medo de errar que a morte da Shouko significa que as portas do inferno se abriram.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Eu tive de pesquisar porque não me lembrava. Mas sim, ele aparece:

cat ultharGato de Ulthar

De todos que estão envolvidos com a Satou, ela era a única aparentemente normal, sem traumas e perversões aparentes, ela ter morrido antes de qualquer outro foi como se o anime jogasse uma pá de cal por cima de toda a sanidade restante no mundo de Happy Sugar Life.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

De fato, é um símbolo poderosíssimo. Eu mesmo tinha pensado no canário como um foreshadow de outra espécie: é um animal caçado por gatos. Que brincam com sua presa antes de matá-los, tal como a Satou “brincou” com a Shoko. Primeiro com todo aquele introito “pacífico”. Depois com a morte em si, que foi feita com o maior sangue-frio.

Aliás, assistindo a cena de novo agora, notei que ela usa uma santoku. É um tipo de faca japonesa de cozinha, usada para picar legumes e coisas do tipo. Não é exatamente uma arma feita para cortar jugulares. Não tem muita ponta. A lâmina é quase reta. Você percebe pelo jeito que ela a segura (e pela força com que prende a Shouko no lugar) que o movimento é super antinatural.

Ok, ela provavelmente pegou o que tinha à mão, mas não muda o fato de que a execução demandou muito sangue frio. Ela bem que poderia ter matado a amiga com uma única paulada na cabeça, como fez com o pintor e (quase o fez) com o Asahi, lá no começo. Em vez disso, tivemos…. bom, toda essa cena.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Curiosidade (episódios assim eventualmente me deixam cheio de curiosidade e eu saio pesquisando as coisas mais inofensivas): O nome da Shouko é escrito em japonês しょうこ, com hiraganas. Por quê? Sei lá. Mas o que mais é Shouko em japonês? Evidência (証拠).

Nomes podem carregar significados porque os kanjis que os compõe têm significados, mas o nome da Shouko é escrito com um alfabeto fonético, então não tem significado imediato. Mas poderia ser escrito como evidência, prova. Que foi exatamente o que a garota conseguiu antes de morrer.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Considerando o simbolismo escancarado dos outros nomes (“Satou” significa açúcar e “Shio” significa branco), eu duvido muito que tenha sido uma coincidência…

diego gonçalvesDiego

Bom, podemos falar um pouco mais do restante do anime? :stuck_out_tongue: O final foi incrivelmente impactante, mas aconteceram algumas coisas interessantes nos outros 20 minutos. Por exemplo, eu gostei bastante do começo, quando o irmão da Shio duvida do aviso dado pelo Tayou. Mostrou que o garoto é mais esperto do que imaginávamos.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Ou que o Taiyou é incrivelmente incompetente. É lógico que o Asahi ia se lembrar dele, eles não se conheceram em um momento qualquer.

A pergunta do Asahi que o deixou em apuros tinha uma resposta muito simples: “eu acabei de voltar e encontrei isso ontem/anteontem”. Ele com efeito estava sumido, teria colado se ele respondesse com a convicção de um bom mentiroso.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Sobretudo um sujeito com a cada do Tayou. Não é todo dia que se vê um garoto com tic-tac no cabelo. Eu cheguei a usar por um tempo, quando deixei o cabelo crescer, e chamava bastante a atenção. Não à toa, foi a primeira característica mencionada na conversa com a Shouko.

cat ultharGato de Ulthar

Acho que ninguém consegue levar o Tayou a sério, nem dá para chamar o irmão da menina de inteligente ou algo que o valha.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Mas já que estamos falando do restante do anime, há outro ponto que gostaria de levantar.

Nesse episódio, tivemos insinuações muito fortes da Shio para com a Satou. Que chegam quase a um nível sexual. Isso tudo culmina no infame “casamento”, que é posto como meio iniciativa dela.

Pessoalmente, achei essas cenas quase tão desconfortáveis quanto o assassinato da Shouko. E acho que a intenção foi exatamente essa.

Mas eu trouxe elas aqui para discutir outro ponto. Happy Sugar Life é um tipo de história que já vimos antes: um conto de “child grooming” em que uma figura materna/paterna cria uma criança para depois se envolver amorosamente por ela.

Uma crítica que se faz a esse tipo de enredo é que ele tende a humanizar seus predadores, dando a entender que a iniciativa vem da parte do filho/filha. É o caso de Usagi Drop e Showa Genroku Rakugo Shinjuu, só para falar de memória.

Bom, não sei exatamente o que pensar sobre isso. Por um lado, ninguém pode acusar HSL de sugerir que as ações da Satou são “boas” ou que ela não é uma predadora. Por outro, também me sinto bastante incomodado por esse desabrochar sexual da Shio. O que vocês pensam disso tudo?

diego gonçalvesDiego

Eu sinceramente não lembro de nada de mais por parte da Shio exceto o pedido de casamento – mas talvez o final chocante tenha apagado quase todo o resto do episódio da minha memória…

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Estou falando de coisas como esse “ataque de fofura”, cuidadosamente enquadrado para aludir a um ato sexual:

Ou esse quase-beijo entre as duas:

diego gonçalvesDiego

Ah sim, esses pedaços. Bom, o primeiro é mais um caso de enquadramento mesmo, mas o segundo foi de fato meio esquisito. É possível ser algo que a Shio tenha visto em algum lugar, mas não deixa de ser bizarro.

Dito isso, e provavelmente extrapolando e muito as intenções da obra, um momento do tipo bem pode servir pra marcar o “fim da inocência” não da personagem, mas do anime como um todo, dado o final.

cat ultharGato de Ulthar

Esse tipo de cena demonstra bem o “fim da inocência” aludido pelo Diego. Acho que já falamos disso lá no começo do anime, mas que é comum crianças expostas a violências replicarem comportamentos adultos, inclusive comportamentos totalmente inapropriados para crianças.

Além disso, é visível que para a Shio o casamento não possui o mesmo significado que possui para qualquer um de nós. Na sua mente em desenvolvimento o casamento é uma forma de duas pessoas selarem um pacto para ficarem juntas para toda a vida.

Ela não está tão errada, mas o seu conceito não alcança que casamento pressupõe envolvimento sexual e não é mero ato de amizade. O mesmo comportamento se vê nas várias vezes que ela recitou aquele juramento de fidelidade, que é uma espécie clara de votos de casamento.

Tanto é que ela já havia feito estes votos com o irmão!

O que já extrapola em muito qualquer mínimo de bom senso. Isso sem falar na mãe que claramente ficou totalmente pirada e sabe lá o que fez com a própria filha.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Provavelmente ela aprendeu os “votos” e muitas outras dessas coisas em casa, por observação ou porque fizeram com ela. Em Usagi Drop (só no mangá) e em Rakugo Shinjuu somos pegos de surpresa quando descobrimos que as crianças se interessaram sexualmente por seus guardiões, que foram sempre adultos corretos e que efetivamente agiram apenas como pais.

Não faz sentido, é só fetiche, por isso irrita e frustra. Já em Happy Sugar Life é óbvio que é para isso que a Satou está criando a Shio. Talvez ela ainda não esteja se fazendo nada demais além de ser uma guardiã excessivamente cautelosa (com o mundo externo, porém bastante irresponsável com o interno), mas ela também não faz nada para impedir, e a Shio já tem uma bagagem que, digamos, “serve” para isso.

É desconfortável ver a Shio ficando mais “relaxada” com a Satou, mas é porque Happy Sugar Life quer nos deixar desconfortáveis mesmo. Quero dizer, sem isso, não pareceria que a Satou está até sendo boa para a Shio? A está criando, afinal, e não podemos falar que a família dela faria muito melhor.

Sem isso, o único “erro” da Satou seria ter sequestrado, e pareceria que a sociedade é que não se importa com a Shio, desde que esteja onde se espera que ela esteja (com a família), independente de seu bem estar.

E bem, talvez a sociedade seja ruim assim mesmo, mas a Satou consegue ser pior, e não só por ser uma psicopata, mas por estar criando a Shio com essa intenção sexual latente.

E devo acrescentar, nesse sentido de desconforto proposital, que mesmo após esse episódio ainda encontro quem honestamente defenda a Satou e defenda que ficar com ela é a melhor coisa para a Shio. O anime está sendo é pouco explícito, se querem saber.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Uau… é incrível como não falta gente disposta a defender qualquer tipo de coisa…

Bem, eu adoraria dizer que tem “mais”, mas a verdade é que esse foi o grande momento da história. A morte da Shouko é o peteleco que derrubou o castelo de cartas da Satou. Tudo o que acontece depois – que, na verdade, está acontecendo agora – é consequência disso. Acho que já temos ingredientes na mesa para tentar adivinhar o que vem pela frente, não?

E aqui já avanço que estou tão no escuro quanto vocês. Embora tenha lido um tanto mais, acho que existe uma chance do anime terminar junto com o mangá. Com uns eventuais cortes e adaptações.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Eu fiquei sob a forte impressão que a Shio vai ferrar grandão tentando assar um bolo para a Satou. E se isso não provar para o mundo inteiro que a psicopata não é uma boa guardiã, não sei mais o que poderia.

diego gonçalvesDiego

Eu diria que uma investigação policial sobre o desaparecimento da Shouko levaria até a Satou, mas ai eu lembro que existe um total de dois policiais nesse universo e eles são bem incompetentes :stuck_out_tongue:Então acho que será o irmão da Shio que vai trazer o fim da Satou.

buniiito4Fábio “Mexicano”

Um dos policiais inclusive provavelmente estava no edifício no momento do crime, gastando suas horas pagas pelo contribuinte em serviços, digamos, pessoais :stuck_out_tongue:

E é impossível que o Asahi chame a polícia. Ele deveria, mas não o imagino fazendo isso.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

Nossa, e tem esse policial ainda. O resto do episódio foi tão chocante que até me esqueci que ele decidiu voltar para a segunda date :stuck_out_tongue_closed_eyes:

cat ultharGato de Ulthar

No fundo das contas Happy Sugar Life é uma obra imensamente non-sense, mas bem, isso não é necessariamente ruim, mas em virtude disto somos expostos a situações totalmente bizarras e inimagináveis, a não ser que quase todos os japoneses sejam pervertidos sociopatas.

booker finisgeekis 1Vinicius Marino

E eu acho que é justamente isso que tanto apavora. Em uma realidade kafkiana cheia de perigos a cada esquina, nunca sabemos o que esperar.

E com esse episódio já vimos que nada está fora de cogitação….

Será que vamos aguentar o que Happy Sugar Life vai nos apresentar? Descobriremos amanhã.

Até semana que vem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *