É possível escrever críticas objetivas? (parte 2)

suicide squad ghost.png

Todos nós já reclamamos daquele filme excelente que foi malhado pela crítica. Ou daquela obra completamente sem mérito que todos consideram a última bolacha do pacote.

Porém, até que ponto é possível dizer que essa ou aquela obra realmente é boa? Onde termina nosso gosto pessoal e começa a verdade? Quando se trata de arte, existe mesmo uma “verdade”?

Na quarta-feira, eu me reuni ao Diego Gonçalves do É Só Um Desenho, Cat Ulthar do Dissidência Pop, Fábio Godoy do Anime 21 e Vitor Seta do Otaku Pós-Moderno para colocar essas questões a limpo. Hoje, o Kouichi Sakakibara do Animes Tebane se juntou a nós para encarar essa briga.

Você pode conferir nossa discussão clicando aqui.

Você também pode checar a primeira parte da conversa nesse link aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *